No texto anterior do #DesmistificandoeSports discutimos um pouco sobre o que, em vias de fato, são os eSports com a conclusão de que: Na realidade o conceito é muito próximo dos esportes tradicionais, porém existe uma falta de conhecimento sobre suas origens.

É difícil imaginar que esse tipo “recente” de competições, na realidade, começou muitas décadas atrás, em 1972 para ser preciso.

A “Intergallactic Spacewar Olympics ” ocorreu em Stanford com patrocínio da revista Rolling Stones e tinha como prêmio a incrível quantia de: uma assinatura de um ano da revista.

Pode não ter sido um começo muito glorioso para os eSports, mas é um começo.

8 anos depois a Atari promoveu o “Space Invaders Tournment” realizado em diversas cidades americanas e acumulando mais de 10 mil participantes, sendo considerado o primeiro torneio oficial de eSports da história. E em 1981, nasceu a Twin Galaxies a principal organização entre a comunidade gamer da época. Afiliada ao Guinness World Records, foi a organização que regulamentou por muito tempo todos os recordes de tempo e pontuação em games através gravações amadoras, onde os jogadores poderiam provar suas vitórias.

Mas foi apenas no final dos anos 90 que o verdadeiro crescimento das competições começou.

Talvez o pontapé inicial para o grande boom dos eSports tenha sido o “Red Annihilation” onde os 16 melhores jogadores de Quake se enfrentaram durante a principal feira de games do mundo, a E3, disputando por uma Ferrari 328 GTS. Isso em 1997, 25 anos após o primeiro torneio de games da história e as premiações passaram de assinaturas de revista para carros de luxo.

Enquanto isso, na Korea do Sul a “ongamenet” nascia em julho de 2000. Um canal de televisão por assinatura exclusivo com conteúdo sobre games, com ênfase em torneios de Starcraft, Starcraft 2 e posteriormente League of Legends.  Com a OGN podemos ter um vislumbre do que os eSports se tornariam 15 anos depois, ainda no início do milênio.

Com o início do “The International” de Dota 2 e a primeira temporada do mundial de League of Legends em 2011 e a “Major series” de conter strike em 2013 chegamos ao que podemos nomear de “Era Moderna” dos eSports. Onde os grandes eventos começam a ser chancelados pelas próprias desenvolvedoras, com circuitos regionais colidindo em finais gigantescas que acumulam a atenção do cenário mundial. E claro com isso as premiações e o reconhecimento cresceram exponencialmente, como por exemplo a final do mundial de League of Legends premiou $50 mil dólares para a equipe vencedora, já no ano de 2019 a premiação foi de $834 mil dólares à grande campeã.

Com isso as empresas que patrocinavam as equipes e jogadores de todos esses cenários foram imortalizadas em todos esses eventos. Mas isso é papo para o próximo #DesmistificandoeSports.